Exportações brasileiras de café cresceram 2,6% em setembro
09/out/2019

Publicado Originalmente: Valor Econômico

Exportações brasileiras de café cresceram 2,6% em setembro

Volume alcançou 3,2 milhões de sacas, de acordo com o Cecafé, mas receita caiu

As exportações de café do país somaram 3,2 milhões de sacas em setembro, 2,6% mais que no mesmo mês de 2018, informou hoje o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). O volume inclui café verde, solúvel e torrado e moído. A receita gerada pelos embarques do mês passado alcançou US$ 410,3 milhões, queda de 4,5% na mesma comparação, em razão do recuo de 6,9% do preço médio da saca exportada, para US$ 126,9.

As exportações de café arábica somaram 2,6 milhões de sacas, incremento de 206% ante ao mesmo mês do ano passado, enquanto as de conilon recuaram 9,9%, para 263,1 mil sacas. “Os volumes de café exportados em setembro registraram o melhor resultado para o mês nos últimos cinco anos”, afirmou Nelson Carvalhaes, presidente do Cecafé, em nota.

De janeiro a setembro, os embarques totais cresceram 27,7% ante ao mesmo período do ano passado, para 30,4 milhões de sacas, também o maior volume dos últimos cinco anos para o período. A receita cresceu 6,5% no intervalo, para US$ 3,8 bilhões. Nessa comparação, as exportações de conilon cresceram 73,7%, para 2,9 milhões de sacas, e as de arábica aumentaram 26,2%, para 24,4 milhões de sacas.

Nos três primeiros meses do ano-safra 2019/20 (julho a setembro), o Brasil exportou 9,9 milhões de sacas de café, crescimento de 9% em relação ao mesmo período da safra anterior. O volume registrou o melhor desempenho dos últimos cinco anos para o período de julho a setembro e a receita cambial gerada com as exportações foi de US$ 1,2 bilhão, queda de 3,6% em relação aos três primeiros meses da safra passada.

Os embarques para os dez principais destinos de café brasileiro no ano civil apresentaram um aumento médio de 28,4% no período. De janeiro a setembro esses países importaram 30,3 milhões de sacas, 27,7% a mais que no mesmo período do ano passado.

“Outro fator que deve ser destacado é o forte crescimento das vendas para os dez maiores países compradores, entre eles EUA, Alemanha, Japão, Bélgica e Espanha. A exceção foi o Reino Unido. Esses resultados registram o aumento da participação brasileira nas exportações mundiais, de acordo com os dados apurados pela OIC, e confirmam mais uma vez a alta qualidade do café mais sustentável do mundo, que é o café brasileiro. Além disso, indicam que fecharemos o ano civil com excelentes resultados, refletindo o bom trabalho do setor exportador”, acrescentou Carvalhaes.

Todos os principais países consumidores de café brasileiro, exceto o Reino Unido, registraram aumento na importação do produto no acumulado do ano civil ante ao mesmo período do ano passado. Os destinos que registraram maior crescimento no consumo de café brasileiro foram a Espanha (40%); EUA (38,6%); e Alemanha (37,2%).

TODOS
NOTÍCIAS
DIÁRIO
PATROCINADORES: