FAO: Índice de preços globais de alimentos permaneceu estável em setembro
03/out/2019

Publicado Originalmente: Valor Econômico

FAO: Índice de preços globais de alimentos permaneceu estável em setembro

Carnes e óleos vegetais subiram, mas lácteos e açúcar recuaram

O índice de preços globais de alimentos da FAO, o braço das Nações Unidas para agricultura e alimentação atingiu 169,9 pontos em setembro, mesmo patamar observado em agosto.

Segundo levantamento divulgado hoje, a estabilidade resultou de altas registradas nos grupos de carnes e óleos vegetais e quedas de lácteos e açúcar – os preços dos cereais tiveram variação marginal.

No caso das carnes, a alta em relação ao mês anterior, a oitava seguida, foi de 0,7%. Segundo a FAO, a valorização foi determinada sobretudo pelas carnes ovina e bovina, que encontram demanda aquecida no mercado internacional, principalmente na China.

A agência da ONU destacou que, embora estejam em alta no mercado chinês, por causa da epidemia de peste africana, as cotações da carne suína estão pressionadas no exterior graças ao aumento da oferta exportáveis, especialmente da Europa.

O indicador que mede as oscilações dos óleos vegetais, por sua vez, registrou variação positiva de 1,3% e alcançou 135,7 pontos, mais alta nível e, 13 meses. A alta foi diretamente influenciada pelos óleos de palma e colza, e só não foi maior porque os óleos de soja e girassol caíram.

Houve quedas, em contrapartida, nos grupos de lácteos — 0,6%, para 193,4 pontos (piso desde fevereiro) — e açúcar — 3,9%, para 168 pontos (piso desde setembro de 2018).

No primeiro caso, a retração foi determinada por queijos e manteigas, ao passo que o açúcar continuou a acusa o golpe dos amplos estoques em países exportadores.

O indicador dos cereais, finalmente, ficou praticamente estável em 157,6 pontos, mais baixo patamar do ano. O trigo subiu, apesar da oferta mundial confortável — mas, por esse motivo, o milho caiu.

TODOS
NOTÍCIAS
DIÁRIO
PATROCINADORES:
APOIADORES: