A antracnose (Colletotrichum truncatum) é uma importante doença da cultura da soja, principalmente na região do Cerrado, onde chove muito e a temperatura é elevada. Ela causa alta redução no número de vagens e induz a planta à retenção foliar e haste verde. Esses impactos causam graves prejuízos à soja.

O uso de sementes infectadas e a falta de nutrientes como o potássio podem aumentar a ocorrência da antracnose na lavoura. As condições climáticas, de fertilidade e a densidade de semeadura também influenciam no aparecimento da doença.

Antracnose

A antracnose na soja 

Um dos sintomas característicos da doença é a necrose e o estrangulamento dos pecíolos das folhas. As vagens atingidas pelo fungo escurecem, ficam retorcidas e não formam grãos. Além disso, a antracnose pode levar à abertura das vagens, fazendo com que os grãos germinem e apodreçam. Muitas vezes, o fungo fica latente e só se expressa no final do ciclo.

A recomendação para o controle da antracnose leva em consideração:

  • o uso de sementes sadias;
  • o tratamento de sementes com fungicidas registrados para o patógeno e para a cultura;
  • rotação de culturas;
  • espaçamento adequado nas entrelinhas;
  • manejo adequado do solo, principalmente com relação à adubação potássica;
  • uso de fungicidas. 

Saiba tudo sobre a antracnose clicando aqui. Além disso, saiba mais sobre pragas e doenças da soja e do milho acessando o nosso site