As lagartas da soja são pragas muito comuns nas lavouras e que podem, se não controladas de maneira correta, representar muitos danos econômicos para os produtores. Neste artigo, abordamos algumas formas de realizar um bom manejo para os principais tipos de lagartas encontrados no território brasileiro.

 

Lagartas de solo

A principal representante desta categoria são as lagartas do gênero Spodoptera. Elas ocorrem em praticamente todo o território nacional e apresentam um grande potencial de danos, caso o controle não seja feito corretamente. A espécie Spodoptera frugiperda é a mais importante deste gênero, uma vez que causa a derrubada de vagens e grandes danos à esta parte da planta. Já a Spodoptera eridania e a Spodoptera cosmioides causam maior desfolha.

É importante que se realize um monitoramento antes do plantio da cultura subsequente para que se evite perda de stand inicial por pragas que estejam alojadas na cultura anterior. Para isso, o manejo de palhada também é essencial.

O manejo é realizado, basicamente, através do monitoramento da presença da praga na dessecação. Para infestações mais severas, o uso de diamidas pode se fazer necessário. Para lagartas em fases iniciais, pode-se lançar mão de produtos fisiológicos.

A Spodoptera spp. tem hábitos noturnos, portanto, seu manejo se torna mais fácil durante a noite.

Lagartas de plântulas

As principais lagartas deste grupo Elasmopalpus lignosellus, embora tenham perdido um pouco de sua relevância por conta do desenvolvimento da soja de tecnologia Bt, que apresenta um excelente controle sobre essa praga.

No caso da soja convencional, um bom manejo com fipronil ou produtos à base de amidas e uma boa dessecação podem reduzir a presença dessa lagarta.

Helicoverpa

É uma lagarta que ataca as partes reprodutivas das plantas, ou seja, ela ataca as vagens e diretamente os grãos.

Com alta infestação, o controle dessa lagarta pode ser feito através do uso de diamidas.

Complexo de plusias

Essas lagartas tiveram um excelente controle com o advento da tecnologia Bt e deixaram de representar um grande problema para as lavouras de soja. No entanto, a partir de 2020 foi possível observar essas lagartas em lavouras de soja com a tecnologia Intacta, demandando maior controle.

Realizar o monitoramento através do pano de batida é de extrema importância, para saber qual é o nível de infestação de lagartas na lavoura e qual será a forma de manejo – se será utilizado um produto de choque, em doses maiores ou menores, ou se apenas um produto biológico será necessário. Além disso, é preciso sempre estar atento em relação ao controle natural das lagartas.