RALLY VIRTUAL
Rally da Safra virtual vai avaliar as lavouras de milho
26/Maio/2020

Principal expedição técnica do agronegócio brasileiro vai reforçar levantamento remoto de dados, usar um novo aplicativo para smartphones, aprofundar contatos e realizar lives com produtores para avaliar as lavouras de milho 2ª safra, num período em que o combate à pandemia impede o roteiro de campo

O Rally da Safra 2020 recomeça nesta semana em novo formato, adaptado às medidas de distanciamento social para combater a pandemia de Covid-19. O roteiro de viagens pelas principais regiões produtoras, previsto para avaliar as lavouras de milho 2ª safra em maio e junho, será substituído por um Rally virtual, usando a internet e a tecnologia para aprofundar o levantamento remoto de informações sobre a safra e o contato com os produtores. As mudanças e as estimativas para a produção da 2ª safra brasileira serão apresentadas pela internet, no site e no canal do Rally no YouTube, amanhã, quarta-feira, 27 de maio, às 17h.

A versão virtual do Rally vai ampliar o contato com o campo. As visitas a propriedades rurais, que normalmente ocorrem ao longo do trajeto das equipes, serão substituídas por lives, nas quais técnicos da Agroconsult, organizadora da expedição, e representantes das empresas patrocinadoras vão conversar com produtores sobre as condições de safra e de mercado em cada região. A expectativa é dobrar, na internet, o número de visitas que seriam feitas presencialmente se as equipes fossem a campo. O Rally virtual permitirá conversar com produtores de regiões que anteriormente não eram cobertas pelas equipes da etapa milho, como os estados do Nordeste.

Outra novidade nesta edição é a utilização do aplicativo do Rally da Safra, pelo qual produtores e técnicos poderão colaborar com a coleta de dados de campo. O programa vem sendo desenvolvido há dois anos e usa ferramentas tecnológicas para contar grãos nas espigas de milho e vagens nas plantas de soja –variáveis básicas para avaliar a produtividade de uma lavoura – a partir de fotos tiradas por smartphone. “Aperfeiçoamos o sistema nas últimas duas safras. A última versão do aplicativo, com todas as funcionalidades, foi publicada neste mês e será uma ferramenta de extrema importância para estimular produtores a realizar amostras e avaliar produtividade das lavouras com a mesma metodologia utilizada pelo Rally”, diz André Debastiani, coordenador do Rally da Safra.

A avaliação de campo será, em parte, substituída pelo levantamento remoto de informações sobre o desenvolvimento da safra de cada região, por meio do contato direto com consultores de campo, gerentes de fazenda, agrônomos e representantes regionais. Trata-se de um trabalho rotineiro da equipe da Agroconsult e que será intensificado no período do Rally.

No campo, há situações diversas de uma região para outra. No Mato Grosso, principal estado produtor brasileiro de milho 2ª safra, tudo se encaminha para uma safra cheia: boa parte das áreas semeadas num calendário adequado e não faltou chuva durante as fases críticas de desenvolvimento das lavouras, com raras exceções. Não são tão boas as condições das lavouras no Oeste e no Norte do Paraná, no Sul do Mato Grosso do Sul e no Sul e Sudoeste de São Paulo, onde o clima foi mais seco nos últimos meses. Em Goiás, a situação é intermediária – a chuva irregular durante o desenvolvimento do milho prejudicou parcialmente o potencial produtivo.  Em regiões menos tradicionais para a safrinha, como Minas Gerais, Maranhão, Piauí e Tocantins, os produtores estão animados – uma chuva até o fim do mês pode assegurar resultados muito bons.

A estimativa de produção do milho 2ª safra da Agroconsult foi revisada para 71,7 milhões de toneladas, 3 milhões de toneladas abaixo do divulgado em 31 de março, durante o evento de encerramento da etapa soja do Rally. A área de milho 2ª safra é estimada em 13,3 milhões de hectares (5,2% maior em relação ao divulgado em 31 de março).

A produtividade média brasileira é projetada em 90,1 sacos por hectare, 10,8% menor do que na temporada passada. A queda não se deve apenas ao clima pouco favorável nas regiões afetadas pela seca, como o Paraná, onde a produtividade média estimada é 22% inferior à da última safrinha, chegando a 78 sacas por hectare. Deve-se levar em conta também que, mesmo nos estados em que as condições são boas, a comparação é com o excelente desempenho do ano passado. É o caso do Mato Grosso, para o qual se espera uma produtividade média de 106 sacos por hectare – o que é um resultado muito bom, mas ainda 6% abaixo da 2ª safra 18/19. 

Ao longo da etapa, os técnicos do Rally produzirão vídeos sobre as condições da safra de milho em cada região, compartilhados por meio das redes sociais e do site do Rally.

Tanto os eventos regionais quanto o de encerramento da etapa, antes previstos para ocorrer presencialmente, serão apresentados online, levando informações sobre o fechamento da safra de milho e perspectivas de mercado, num formato semelhante ao realizado na etapa soja, que foi sucesso de público. O encerramento do Rally da Safra 2020 está marcado para 18 de junho.

Organizado pela Agroconsult, o Rally da Safra 2020 tem patrocínio do Banco Santander, FMC, Corteva Agriscience (com as marcas Brevant, Enlist e Cordius), VLI, Firestone (marca pertencente à Bridgestone), Tokio Marine, além de apoio nacional da FIESP, BR Distribuidora e Fundação Agrisus.

TODOS
NOTÍCIAS
DIÁRIO
PATROCINADORES:
APOIADORES: