O uso de imagens de satélite complementado pelos levantamentos com a rede de contatos da Agroconsult, acompanhamento do mercado de insumos e análise de campo do Rally da Safra apontam para um novo cenário da safra de soja do Brasil. Com a implantação de uma ferramenta de avaliação de safra que usa algoritmos para analisar imagens de satélite, a Agroconsult, organizadora da expedição técnica, atualizou a área da safra 2023/24 para 46,4 milhões de hectares – 753 mil hectares acima da última projeção. A estimativa de produção foi elevada para 156,5 milhões de toneladas (ante 152,2 milhões de toneladas na última projeção), com produtividade média estimada em 56,2 sacas por hectare.

“Ao longo dos últimos 20 anos do Rally da Safra estivemos muito focados em ir a campo com rigor metodológico para trazer as melhores informações a respeito da produtividade de cada uma das regiões do Brasil. A produtividade, porém, é apenas um dos fatores de produção. Há três anos definimos o objetivo de acrescentar à metodologia do Rally a validação da área plantada por meio de imagens de satélite. Investimos então na implementação do Cropdata, uma ferramenta de análise de safra que utiliza algoritmos para analisar, processar e classificar imagens de satélite”, explica André Debastiani, coordenador do Rally da Safra.

Em comparação com os números da Conab, as novas estimativas da Agroconsult para a safra 23/24 apontam um aumento de 707 mil hectares na área plantada da região Centro-Oeste, de 445 mil hectares na região Sudeste, de 78 mil hectares no Sul e de 59 mil hectares no Nordeste, totalizando a diferença de 1,2 milhão de hectares. Somente a região Norte sofreu um ajuste de 39 mil hectares a menos que nos dados oficiais.

Já em relação à produção de soja 23/24, os dados apontam aproximadamente 10 milhões de toneladas a mais em relação à Conab. Do total, 5,4 milhões de toneladas resultam da diferença entre as produtividades estimadas para os estados e 4,2 milhões de toneladas referem-se às diferenças nas estimativas de área plantada.

“Com os ajustes na área plantada, conseguimos cumprir com o objetivo inicial do Rally de reduzir a assimetria de informações do mercado. Apesar dessa nova área ser um dado novo para boa parte do setor, muitos já trabalhavam com áreas e volume de produção maiores, como é o caso de várias tradings de soja que utilizam a mesma metodologia para gerar estimativas”, explica Debastiani.

A Agroconsult ajustou também algumas produtividades com os resultados da etapa soja do Rally. No Rio Grande do Sul, as chuvas do final de fevereiro foram benéficas e trouxeram bons resultados nas primeiras áreas colhidas. Os técnicos avaliaram lavouras no estado na semana de 18 de março e, em abril, retornarão para confirmar os dados. A estimativa de produtividade passou de 55 para 57,2 sacas por hectare.

Houve revisão positiva também em Minas Gerais, que, com a regularidade das chuvas, passou de 57 para 63,4 sacas por hectare. Com boas perspectivas de produtividade no leste do estado, Goiás saiu de 59 para 62,2 sacas por hectare. No Mato Grosso, a produtividade foi alterada de 52,5 para 53,1 sacas por hectare. Para a Bahia, a estimativa passou de 60 para 63,8 sacas por hectare.

As revisões negativas ocorreram nas produtividades do estado de São Paulo, de 55 para 48 sacas por hectare, Paraná, de 58 para 56,1 sacas por hectare e no Mato Grosso do Sul, com redução de 57,5 para 51,2 sacas por hectare.

Já para o milho segunda safra, quase totalmente plantado, houve ajuste também na área para 16,3 milhões de hectares, com redução de 3,9% se comparada à safra passada. A queda nos preços dos insumos nas últimas semanas levou os produtores a definirem a área nas regiões mais tardias, aponta a Agroconsult.  A produção está estimada em 96,4 milhões de toneladas, com queda de 10,9% sobre 22/23.

O Rally da Safra prosseguirá em maio e junho, com seis equipes avaliando as lavouras de milho segunda safra. As áreas visitadas respondem por 97% da área de produção de soja e 72% da área de milho.

Realizado pela Agroconsult, o Rally da Safra percorreu, desde janeiro, 15 estados (MT, RO, GO, MG, MS, PR, SC, SP, RS, MA, PI, TO, BA, PA e DF) durante as fases de desenvolvimento das lavouras e de colheita. Em sua 21ª edição, conta com o patrocínio do Santander, OCP Brasil, BASF, Credenz, Soytech, Biotrop, Serasa Experian e JDT Seguros. Entre os meses de abril e maio, técnicos da Agroconsult e das empresas e marcas patrocinadoras visitarão produtores rurais nas regiões da BR-163, no Mato Grosso, no Sudoeste de Goiás, no Planalto do Rio Grande do Sul e Oeste do Paraná. No mesmo período serão realizados eventos técnicos em Luís Eduardo Magalhães (BA), Não-Me-Toque (RS), Cascavel (PR) e Rio Verde (GO).

 

O primeiro evento técnico, em Luís Eduardo Magalhães, acontecerá no dia 4 de abril, às 18h, com o CEO da Agroconsult, André Pessôa, que irá falar sobre o tema “Condições da safra brasileira e o mercado de grãos”. O evento acontecerá no Clube Rio das Pedras (Av. Paraíso, Chácara 16 – Jardim Paraíso), com inscrições gratuitas pelo link: https://bit.ly/Rally2024LEM

area